Depois de reclamação de dentistas, TSE retira propaganda do ar


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) enviou pedido às emissoras de rádio e televisão nesta terça-feira (31) pedindo a retirada do ar de uma das propagandas da campanha sobre o voto consciente que tem como personagem um falso dentista, que é comparado a um político “ficha-suja”.

A decisão foi tomada pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, depois de reclamação formal do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP) e de o tribunal ter recebido diversos e-mails de profissionais do ramo.

A propaganda mostra uma paciente que adormece, enquanto aguarda o atendimento de um dentista. A personagem sonha que o profissional que vai atendê-la é procurado pela polícia por ter aplicado substâncias proibidas em pacientes. Segundo o Conselho, a publicidade “retrata de forma inadequada e ofensiva o cirurgião dentista”.

“Ao estigmatizar a figura do cirurgião-dentista como um profissional que provoca medo aos pacientes, a propaganda desestimula a busca dessas ações, por parte da sociedade. Os efeitos são especialmente nocivos entre a população infantil, causando prejuízos psicológicos em relação ao tratamento odontológico”, afirmou o CRO-SP.

O presidente do TSE também pedido de desculpas à entidade, afirmando que tomaria providências para que a propaganda fosse retirada do ar. No documento, Lewandowski explica que se trata de “um sonho, em que o ator representa um falso dentista” e que não houve intenção ofender, nem divulgar imagem distorcida desses profissionais.

“Ao comparar o falso profissional ao mau político, a Justiça Eleitoral procura incentivar o eleitor a buscar as melhores opções e motivá-lo a pesquisar o passado das pessoas nas quais ele deposita a confiança”, afirmou o presidente do TSE.

Veja mais em: Dentistas pedem retirada de campanha do TSE e TSE e MPF fazem nova campanha para conscientizar eleitor

FONTE: G1

Anúncios

Dentistas pedem retirada de campanha do TSE


O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) encaminhou solicitação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que retire do ar programa institucional que visa conscientizar o eleitor sobre a importância do voto.

O programa, de 30 segundo, veiculado em todas as redes de televisão do país retrata um falso dentista que aplica, em vez de anestesia, substância que faz o paciente ter amnésia durante quatro anos.

De acordo com a assessoria do conselho, a peça publicitária “retrata de maneira inadequada e ofensiva o cirurgião-dentista” e podem afugentar os pacientes na busca de um profissional para os cuidados da saúde bucal. “Ao estigmatizar a figura do cirurgião-dentista como um profissional que provoca medo aos pacientes, a propaganda desestimula a busca dessas ações”, diz trecho da nota, “especialmente para a população infantil”.

Leia nota à imprensa do Conselho:

“Caro colega cirurgião-dentista:

Conforme informamos em e-mail anterior, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, autarquia federal representativa dos 75 mil cirurgiões-dentistas do Estado de São Paulo, solicitou ao Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, a adoção de providências para retirar o comercial publicitário veiculado em rádio e televisão, da campanha de esclarecimento ao eleitor, onde se explora a imagem de um “falso cirurgião-dentista”. Clique aqui e leia o Ofício Pres. 2772/2010.

O CROSP manifestou a preocupação, em relação à referida peça publicitária, pois a mesma reforça uma visão deturpada de nossa categoria profissional, podendo induzir a população a crer que existam cirurgiões-dentistas atuando na ilegalidade. O CROSP tem sido incansável na apuração e na punição ao falso exercício profissional.

Defendemos que o Tribunal Superior Eleitoral realize campanha de esclarecimentos à população, orientando para que essa se informe antes de escolher os seus candidatos às eleições de 2010.

Entretanto, o exemplo escolhido pela agência publicitária retrata de maneira inadequada e ofensiva esta situação, comprometendo a educação da população, no que diz respeito à importância da prevenção e dos cuidados com saúde bucal. Ao estigmatizar a figura do cirurgião-dentista como um profissional que provoca medo aos pacientes, a propaganda desestimula a busca dessas ações, por parte da sociedade.

Solicitamos que o colega cirurgião-dentista também faça a sua parte, no apoio a mais esta luta do CROSP. Envie um e-mail para jurisprudencia@tse.gov.br, dirigido ao Egrégio Tribunal Superior Eleitoral, solicitando providências para a retirada da propaganda dessa Corte, com alusão a um falso cirurgião-dentista.

A sua participação é muito importante. Envie o seu e-mail e junte-se ao CROSP em nossa luta pela valorização e prestígio da Odontologia.”

“O interessante é que fazer humor que “ridicularize” os candidatos a cargos públicos durante o período de eleições é proibido. Já ridicularizar outros profissionais pode. Vai entender.

Da próxima vez, TSE, use os próprios políticos como mau exemplo. Faz muito mais sentido, e não será necessário usar o termo “falso” antes do nome do cargo.” (Blog Medo de Dentista)

Veja mais em: TSE e MPF fazem nova campanha para conscientizar eleitor

FONTE: CRO SP e Bonde

TSE e MPF fazem nova campanha para conscientizar eleitor


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começou a veicular na TV e no rádio seis novas peças publicitárias de conscientização do eleitor.

A nova propaganda conta a história de um falso dentista para passar a mensagem de que, assim como as pessoas não devem confiar sua saúde a um profissional desconhecido, também não devem dar seu voto a um político sem saber os antecedentes dele.

A próxima propaganda passa a mensagem da campanha eleitoral pelo voto consciente que o Ministério Público Federal lançou no dia 23 de julho, em todo o País. O objetivo é esclarecer à população que comprar e vender voto é crime. Por meio de vídeos, spots, folderes, cartazes e cartilhas, a campanha ensina que, quando o eleitor troca o voto por um favor pessoal, elege um candidato corrupto e prejudica milhões de brasileiros, inclusive sua família.

A campanha mostra que o candidato a um cargo político que oferece presentes ou favores em troca do voto não respeita a opinião do eleitor nem os seus direitos. Ele dá uma pilha de tijolos mas, quando eleito, não trabalha para garantir a todos o acesso à saúde, educação, moradia e ao emprego. O eleitor ganha uma dentadura, mas abre mão de ter hospitais e postos de saúde. Ganha um par de tênis, mas não tem transporte público de qualidade.

O Presidente do TRE diz que  “O voto do cidadão vale muito mais que uma dentadura, um óculos, um emprego, etc. Outro dia ouvi de um político que uma pessoa foi pedir um óculos e ele disse que o voto valia muito mais do que isso. ‘O voto vale quatro anos de mandato e posso fazer o que quiser com ele porque te comprei e você me vendeu’ disse o político.

Quem compra voto se mete em outras sujeiras seja no executivo ou no legislativo. A gente espera que os políticos façam política.”

Seu voto: não venda, não troque, não negocie!

Veja mais em: Dentistas pedem retirada de campanha do TSE e Depois de reclamação de dentistas, TSE retira propaganda do ar

Por Drª Vivian Bernhard
Especialista em Periodontia & Implantodontia
Habilitação em Laser na Odontologia.
Graduação em Odontologia