Saiba como previnir doenças na gengiva e garantir sorriso saudável


Os dentes são nosso cartão de visita. Um belo sorriso atrai simpatia e pode até mesmo esconder possíveis imperfeições do rosto. Mas a verdade é que muitas pessoas ainda não cuidam adequadamente da saúde bucal e as conseqüências, a médio e longo prazos, são alarmantes.

Um problema comum, mas pouco conhecido, é o que afeta as gengivas. Quando não cuidadas, elas adoecem e acabam prejudicando a saúde dos dentes. O estresse e o cigarro, por exemplo, geram complicações que podem levar, inclusive, a perda dos dentes.

O estresse afeta a boca podendo causar bruxismo, que é o ranger dos dentes, geralmente à noite, como forma de aliviar alguma crise emocional. Além disso, o estresse pode levar à doença periodontal – que são problemas na gengiva e no osso da boca – desencadeada pela liberação do cortisol. Esse hormônio altera o sistema de defesa deixando o organismo mais susceptível a doenças bacterianas.

Na fase de estresse, a pessoa desenvolve ainda comportamentos que são prejudiciais a ela mesma, como o uso de cigarro, o abandono da higiene bucal e das visitas de rotina ao dentista. O uso do tabaco, em especial, cria um cenário ideal para a proliferação de bactérias, já que suas substâncias reduzem o fluxo salivar e a quantidade de oxigênio na boca.

O maior problema é que os sintomas só aparecem em estágios mais avançados da doença. Porém, podem ser observados sangramentos, “coceiras” e bolsas de pus nas gengivas, além da mobilidade dentária. A gengiva pode, ainda, retrair levando a exposição da raiz do dente, gerando sensibilidade dentária e comprometendo a estética do sorriso.

A doença periodontal pode comprometer o osso que sustenta o dente na boca. O dente é ligado ao osso por várias fibras colágenas – chamadas de ligamento periodontal. À medida que o osso vai sendo reabsorvido pelo organismo, as fibras também são perdidas. Resultado: o dente perde suas funções e, muitas vezes, acaba saindo na mão do paciente.

Em outros casos, recomenda-se sua extração para evitar focos de infecção bucal. Sabe-se ainda que se a gengiva vai mal, ela sinaliza que outras partes do corpo precisam de cuidados, como no caso da diabetes. Além disso, problemas periodontais estão associados com o aumento da chance da pessoa desenvolver artroses e doenças cardíacas.

O TRATAMENTO

Quando a doença está numa fase inicial, restrita à gengiva (gengivite), é preciso que um profissional faça uma limpeza profunda dos dentes e que o paciente siga à risca as recomendações de uso correto do fio dental e da escova. Assim, evita-se que o quadro se agrave. Já nos casos de doenças mais avançadas, em que há envolvimento ósseo (periodontite), muitos danos não podem ser revertidos. Em algumas situações recomenda-se o procedimento cirúrgico para estacionar a doença.

Agora, se você quer mesmo evitar complicações, vá a um periodontista e faça um acompanhamento frequente. E se você tem o hábito diário de usar antisséptico bucal, não se engane. O uso dos bochechos por si só não resolvem os problemas periodontais. É como passar perfume sem tomar banho.

FONTE: Folha Vitória

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s