O sistema mastigatório deve freqüentar academia


Dente bem cuidado não envelhece; estando amarelado e escuro denota velhice ou maus tratos.

Conceitualmente longevidade significa vida longa, dilatada, e o significado está sempre relacionado à expectativa de duração de vida, expressa por um complexo de influentes fatores.

Com a evolução da ciência e do conhecimento, a longevidade com qualidade de vida é um fato comprovado. Além da conquista de uma vida mais longa, cada vez fica mais difícil identificar a idade cronológica de muitas pessoas.

A indústria da fabricação de produtos utilizados para conservação da pele e dos cabelos cria uma incrível variedade de cremes rejuvenescedores, anti-rugas e removedores de manchas.

A cirurgia plástica e a ciência dermatológica desenvolveram técnicas eficazes que, atenuando os sinais dos tempos de forma natural, conferem à face uma fisionomia mais jovem, atuando na área dos olhos, eliminando olheiras e bolsas nas pálpebras, situações que denotam envelhecimento.

Dentre todo esse universo da estética aliada à qualidade de vida, um fator que influencia a longevidade, mas que, infelizmente, ainda é pouco lembrado, está na parte inferior da face: a boca com seus músculos, ossos e dentes.

CORPO SEM BOCA

O modo de se pensar um corpo sem boca, não dando a ela a devida atenção, tem permitido observar corpos jovens, rostos sem rugas, mas exibindo falas cuspidas, a lançar saliva, ostentando barulho ao mastigar, além de dentes amarelos, que são cruéis indicadores de idade, a mostrar que o tempo passou e a idade chegou. Pessoas, enfim, com o corpo jovem e o sorriso envelhecido.

Quanto aos dentes, não só o escurecimento, mas também as restaurações dentárias insatisfatórias, ou as próteses mal adaptadas, os dentes desalinhados, as gengivas doentes, entre outros tantos desvios, reúnem-se para formar uma aparência descuidada e decadente.

E o pior é que, à medida que a idade avança, fase em que o aproveitamento dos alimentos é de fundamental importância, os músculos faciais, por falta de treino, não conseguem uma adequada eficiência mastigatória, competente para triturar e bem preparar os alimentos a serem digeridos.

Bem por isso é que os órgãos que compõem o sistema estomatognático, até recentemente chamado sistema mastigatório, devem freqüentar academia, realizar um verdadeiro fitness, conferindo aptidão, bom estado e funcionamento equilibrado.

O trabalho e o bom funcionamento dos músculos e dos dentes são requisitos para se manter o visual jovem. Para tanto, é necessário que os dentes estejam preservados em sua forma, saudavelmente alojados no osso, bem relacionados entre si e circundados por gengivas sadias.

De fato, os dentes terão eterna juventude, valendo lembrar que, se forem bem cuidados, manter-se-ão bonitos e brilhantes por toda a vida.

Dentes escurecidos ou mal cuidados dão aparência envelhecida às pessoas e o clareamento dentário é um caminho para revigorá-los. Obtém-se significativa eficiência mastigatória, exercitando-se os músculos da mastigação, com o funcionamento equilibrado da boca, na atividade de mastigar, dos dois lados, alimentos secos, duros e fibrosos.

DENTES: APARELHOS ERGOMÉTRICOS

Vamos a um parêntese elucidativo: eficiência mastigatória é o grau de trituração a que é submetido o alimento por um número determinado de golpes mastigatórios, que é o número de contatos interdentários produzidos durante a mastigação habitual e que geram a força mastigatória. Como exemplo, se tomarmos três tipos de alimento: um, de consistência mole e frágil, como o amendoim; outro, mais duro, porém fragmentável, como o coco e, finalmente, uvas passas, alimento seco, mas resistente e fibroso, a média das forças medidas nos dentes da região posterior ou do fundo da boca é de aproximadamente 3,7 kg para o amendoim, de 4,1 kg para o coco e de 4,9 kg para as uvas passas, significando que o alimento seco e fibroso é capaz de aumentar proporcionalmente a força mastigatória.

Quando o ato mastigatório é bilateral, simultâneo ou alternado, ou seja, quando o alimento é distribuído homogeneamente nos dentes, tanto do lado direito como do esquerdo, apresenta-se uma dissipação uniforme das forças mastigatórias, facilitando a estabilidade da engrenagem dos dentes e da atividade dos músculos faciais, porque é bilateralmente sincrônica.

Pessoas que mastigam habitualmente alimentos de consistência dura ou fibrosa apresentam valores bem maiores de força mastigatória. Os esquimós, que pertencem a um grupo étnico muito estudado com relação à mastigação, exibem expressiva força mastigatória na região de molares, ou nos dentes do fundo, de cerca de 150 kg, enquanto que a força mastigatória dos norte-americanos nessa mesma região dentária fica ao redor de 70 kg.

Resumindo, a mastigação é um processo complexo, altamente dinâmico, que exige muito em termos de coordenação e treinamento do sistema neuro-muscular.

Assim, é recomendável o treinamento dos músculos faciais através da mastigação, realizando um verdadeiro fitness bucal, uma autêntica sessão de musculação, mantendo a musculatura firme e ágil para acionar os dentes, preciosas ferramentas para preparação dos alimentos na primeira etapa do processo digestivo.

Nesse processo, mastigar torna-se um eficiente mecanismo de liberação de tensão: acalma e relaxa. Nessa mesma direção, manter os dentes claros e em boa forma, gengivas sadias e musculatura forte e vigorosa são procedimentos rejuvenescedores. Trata-se de um diferencial importante e fundamental: a juventude do sorriso confunde-se com a da pessoa.

FONTE: Odontologika

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s