Começou pelos dentes


Caíram todos os dentes. Todos meus dentes caíram. Uns depois dos outros. E quanto mais eu passeava a língua na boca, mais cacos desprendiam-se. O que irá sobrar depois? Vou ao dentista e ele me põe uma bela dentadura, linda e perfeita. Sorriso de piano, quero um sorriso de piano. Vou gostar de sorrir, agora que terei essa nova janela, toda branca. Mas estou sentindo uma coisa estranha, a minha boca como que paralisada, deformada. Não consigo mais fechá-la. Olho-me no espelho e assusto-me com o reflexo prognata.

Sorrio com a deformação e lá estão os dentes. Mas eles não tinham caído? Caíram ou não caíram?

Irei ao dentista consertar isso. Ele deve ter uma explicação. O que me incomoda agora não é a falta de dentes, já que ainda tenho dentes, mas essa boca que não fecha.

Abro a boca novamente de frente para o espelho. Ela abre mais que de costume.

[…]

Continue a ler: Blog do Fernand Alphen

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s