A Laserterapia no tratamento da Parestesia


INTRODUÇÃO

Alterações neurossensoriais decorrentes de procedimentos operatórios em odontologia ocorrem, geralmente, em conseqüência da técnica anestésica de bloqueio regional dos nervos alveolar inferior, lingual e bucal. O trauma pode ser causado pela inserção da agulha na bainha do nervo podendo ocorrer uma hemorragia e levar à degeneração das fibras nervosas

As lesões dos nervos periféricos ocasionadas por trauma interrompem o fluxo de impulsos aferentes normais nos neurônios sensitivos, gerando um quadro de desaferentação. Dependendo da extensão do trauma no nervo periférico e da organização da regeneração nervosa, podem ocorrer vários sintomas que se manifestam clinicamente, um exemplo é a parestesia.

REVISÃO DE LITERATURA

A parestesia é causada por uma lesão no tecido nervoso e é caracterizada pela alteração da sensibilidade no trajeto percorrido pelo nervo atingido.

Na Odontologia, pode acometer principalmente os nervos alveolar inferior, lingual e mentual e, na maioria das vezes, é decorrente de fatores locais como fraturas mandibulares, lesões compressivas (como neoplasias benignas e malignas), dentes impactados, cirurgias de implante, cirurgias ortognáticas, ortodônticas e pré-protéticas, infecções locais e iatrogênicas (como pós-tratamento endodôntico, exodontias e bloqueios anestésicos). Vale lembrar que a parestesia pode estar relacionada a fatores sistêmicos como doenças degenerativas, infecções virais, desordens metabólicas e algumas reações medicamentosas.

Algumas hipóteses acerca dos efeitos favoráveis da fototerapia no tratamento de parestesias são relatadas. Acredita-se que o laser tenha potencial de regeneração nervosa e/ou estimule a inervação vizinha no intuito de desempenhar o papel da inervação comprometida e estimule.

Outra hipótese da atuação do laser na parestesia é baseada no seu potencial de aumento da microcirculação no local irradiado, já comprovado cientificamente. Esse evento contribuiria para a uma melhor nutrição celular local fundamental para a regeneração nervosa.

A laserterapia é uma opção terapêutica no tratamento de lesões periféricas sensitivas decorrentes de procedimentos cirúrgicos em odontologia. Geralmente, as áreas acometidas com sintomas de desaferentação são: lábio inferior, região do mento, língua, gengiva inserida e terço inferior da face. O tratamento é indicado em caso de lesões de curto e longo período de existência. O laser au­xilia a regeneração nervosa periférica, propiciando a recuperação sensitiva.

A porcentagem de sucesso da fototerapia em baixa intensidade é de 78,3% em parestesias com menos de um ano e de 66,9% com mais de um ano. Por isso, a necessidade de se implementar o tratamento assim que o diagnóstico é feito.

Os resultados dos estudos clínicos sobre a atuação do laser no tratamento da parestesia, embora escassos, são promissores.

Há a aceleração no tempo e na magnitude do retorno das parestesias tratadas com laser em baixa intensidade. E ainda mostrou melhoras na percepção mecanorreceptora e percepção sensorial subjetiva e objetiva em parestesias do nervo alveolar inferior quando tratadas com fototerapia com laser em baixa intensidade.

CONCLUSÃO

A Fototerapia com Laser em Baixa Intensidade tem se mostrado uma importante terapia coadjuvante na recuperação de pacientes submetidos ao trauma quer acidental ou cirúrgico. Portanto, é recomendado a realização dessa fototerapia nos parâmetros adequados como coadjuvante na recuperação do pós-operatório.

Por Drª Vivian Bernhard
Especialista em Periodontia & Implantodontia
Habilitação em Laser na Odontologia.
Graduação em Odontologia

REFERÊNCIAS

1. Kullar sM, Brodin P, Barkvoll, haanaes hR. Preliminary study of low-level laser for treatment of long-standing sensory aberrations in the inferior alveolar nerve. J Oral Maxillofac Surg 1996; 54(1):2-7.

2. Kullar sM, emami B, Westermark a, haanaes hR. effect of low- level laser treatment on neurosensory deficits subsequent to sagittal split ramus osteotomy. oral surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 1996; 82(2):132-8.

3. Maegawa Y, Itoh T, hosokawa T, Yaegashi K, nishi M. effects of near-infrared low-level laser irradiation on microcirculation. Laser Surg Med 2000; 27:427-437.

4. Midamba ed, haanaes hR: Low reactive-level 830 nm gaalas diode laser therapy (LLLT) successfully accelerates regeneration of peripheral nerves in human. Laser Therapy 1993, 5:125.

5. Miró L, coupe M, charras c, Jambon c, chevalier JM. estúdio capilosroscópico de la acción de um laser de asga sobre la microcirculacióm. Inv Clin Laser 1984; 2:9.

6. Ozen T, orhan K, gorur I and ozturk a. efficacy of low level laser therapy on neurosensory recovery after injury to the inferior alveolar nerve. Head & Face Medicine 2006, 2:3.

7. Prado MMB. estudo sobre a parestesia do nervo alveolar inferior pós cirurgia de terceiros molares inferiores [Dissertação de Mestrado]. são Paulo: Faculdade de odontologia da USP; 2004.

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s