Laser na Hipersensibilidade Dentinária


INTRODUÇÃO

A hipersensibilidade dentinária é um problema que atinge atualmente grande parte da população. Além de causar desconforto bucal, gera uma série de inconvenientes na vida psicosocial do indivíduo , levando-o a restrições alimentares.

O tratamento eficaz da sensibilidade dentinária tem sido motivo de várias pesquisas na odontologia durante os últimos anos, e sem dúvida alguma, com o advento do uso do laser na odontologia tem-se uma nova opção de tratamento.

REVISÃO DE LITERATURA

Uma sensação dolorosa – comumente explicada por “dentes sensíveis” – pode ser a manifestação de um fenômeno denominado Hipersensibilidade Dentinária.

A dor ocorre quando a dentina, que protege a polpa (nervo), tecido vivo do dente, perde sua proteção natural, chamada esmalte ou cemento. Em contato com temperaturas quentes ou frias, acontece uma movimentação de fluidos no interior dos túbulos dentinários, desencadeando a sensação de dor na polpa.

A perda desse revestimento natural pode ser ocasionada por abrasões, erosões dentais ou atrição. Nas erosões, os principais responsáveis são os ácidos. O consumo excessivo de refrigerantes, frutas e sucos cítricos, além de algumas drogas, prejudicam os dentes. Também quem sofre de bulimia ou anorexia nervosa, em que se nota o hábito de regurgitar, pode apresentar erosões, devido ao ácido presente no suco gástrico que retorna à boca.

Na abrasão, o desgaste é ocasionado por ação mecânica. Neste caso, o importante é observar a qualidade da escova dental, que precisa ser macia, com extremidades arredondadas. Além disso, a escovação não pode ser feita com movimentos bruscos, pois a sua função é remover a placa bacteriana, não a estrutura dental.

Outro processo que causa o desgaste do esmalte na coroa do dente é a atrição; acontece devido à mastigação ou por hábitos parafuncionais, como o bruxismo. Se o paciente tiver um problema oclusal, isto é, de encaixe entre os dentes superiores e inferiores, pode haver maior concentração de força sobre alguns dentes, durante a mastigação. Com o tempo surgem trincas no esmalte, que serão eliminadas através da escovação, provocando a exposição da dentina.

A palavra LASER significa light Amplification by Stimulated Emission of Radiation que, em português, seria ‘luz amplificada pela emissão estimulada de radiação’.

O laser é uma fonte de luz com vários comprimentos de onda que lhe conferem propriedades terapêuticas. Atualmente, devemos considerar o laser um auxiliar terapêutico indispensável aos consultórios odontológicos.

A Laserterapia atua na hipersensibilidade dentinária de duas formas: uma imediata e outra tardia. A ação imediata se deve à diminuição da intensidade da dor logo após a aplicação do laser – por causa da manutenção do potencial de repouso da membrana do receptor nociceptivo pulpar, com supressão do potencial evocado das fibras nociceptivas pulpares e interrupção da condução do impulso nervoso na fibra nervosa aferente – agindo como um supressor reversível direto da atividade neuronal.

O efeito tardio é conseqüência de um aumento da atividade metabólica do odontoblasto, que em grande atividade produz rapidamente uma quantidade de dentina reparativa ou terciária e o selamento dos canalículos, eliminando o  trânsito do fluido no túbulo dentinário e promovendo analgesia de longa duração.

Em suas observações, Matsumoto (1985) obteve melhora de 85% em dentes tratados com laser e Aun (1989) em 98%. Yamaguchi (1990) relatou êxito em 60% no grupo tratado com laser e de 22,2% no de controle; Kumazaki (1990) atingiu bons resultados em 69,2% dos pacientes tratados com laser contra 20% dos tratados com placebo. Brugnera Junior (2002) usou lasers de 780 nm e 830 nm, e 40 mW e 50 mW, com 4 joules/cm2 por elemento dental, e constatou uma melhora em 91,29% dos 1.102 dentes tratados.

CONCLUSÃO

A Laserterapia não é uma técnica difícil, mas conhecimentos básicos, um estudo dirigido e um treinamento prático são necessários. A correta aplicação destes recursos inovadores diferencia os profissionais de Odontologia, desafiando a sua inteligência, estimulando a confiança do paciente no desenvolvimento do trabalho e também a sua auto-confiança.

Por Drª Vivian Bernhard
Especialista em Periodontia & Implantodontia
Habilitação em Laser na Odontologia.
Graduação em Odontologia
REFERÊNCIAS

1. ABC da Saúde. Laser na Odontologia. Disponível em: < http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?685 >. Acesso em: 01 de agosto de 2010.

2. Junior Brugnera, A. Laserterapia no tratamento da hipersensibilidade dentinária. Disponível em: < http://www.dentalreview.com.br/nova/dicas.php?news_id=6 >. Acesso em: 01 de agosto de 2010.

3. SERTHO. Hipersensibilidade. Disponível em: < http://www.sertho.com.br/materia_hipersensibilidade.htm >. Acesso em: 01 de agosto de 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s